Tendências de marketing para 2022

Todos os anos, assim como em todos os setores profissionais, o mercado da comunicação é pautado por diversas novas tendências. Se o mundo já vem mudando com o passar dos anos, depois da pandemia de covid que enfrentamos, tudo mudou muito e ainda mais rápido do que o normal. Algumas coisas podemos perceber no dia a dia, como por exemplo a quantidade de supermercados que agora vendem online e até mesmo os cardápios dos restaurantes, que agora são em QR code em sua maioria. Mas, além disso, quais são as tendências que devem vir com tudo neste ano de 2022?

Quem trabalha com marketing e publicidade precisa estar atento a estas mudanças, já que precisamos entender os hábitos, desejos, comportamentos de consumo e necessidades das pessoas. Pesquisas e análises de mercado indicam que o cliente tem cada vez mais poder. Hoje ele não escolhe produtos e serviços pensando apenas na qualidade, mas em tudo o que a marca representa para a sociedade como um todo.

Cuidado com o meio ambiente, sustentabilidade, práticas e ações sociais são cada vez mais importantes para o consumidor, que gosta de ver marcas se posicionando frente a temas complexos, políticos, sociais e relevantes. E o consumidor está atento! Não basta apenas defender a causa na teoria, mas não colocar em prática. A sociedade exige ações sólidas e concretas, da porta pra fora e da porta pra dentro.

Diversidade é palavra de ordem e a representatividade deve estar inserida em todo o contexto de uma empresa: na publicidade que ela apresenta ao consumidor, mas principalmente em áreas internas como composição das equipes e cargos de liderança, diretoria e gerência. Empoderamento feminino, da população negra e das pessoas LGBTQIAP+ são os temas mais recorrentes, mas todo tipo de preconceito deve ser combatido.

Outro tema que está muito em pauta e que o consumidor está cada vez mais consciente diz respeito à inteligência e privacidade de dados. Em um mundo digital, onde compras e transações bancárias são realizadas pelo computador ou celular, e as redes sociais continuam sendo o centro das atenções, a segurança e para onde os dados estão indo e com qual objetivo tem gerado interesse. As pessoas entenderam que, com a big data, seus dados estão sendo cruzados e algumas empresas têm suas vidas nas mãos. Uma comprovação de que o tema está no centro da discussão foi a entrada em vigor da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que tem o objetivo de reforçar a privacidade das pessoas e garantir aos clientes mais controle sobre seus dados.

Ainda sobre redes sociais, a tendência é que 60% do investimento global destinado para publicidade em 2022 será investido em mídia digital, que está cada vez mais integrada a ambientes de compra como e-commerces e marketplaces. E já que as redes sociais continuam em alta, cresce também o investimento em conteúdo próprio (com destaque para Inbound Marketing) e em parceria com influenciadores.

Embora muito se fale sobre Metaverso, este ainda é um tema que está engatinhando e gera mais dúvidas e especulações do que certezas. Apostamos que esse será um ssunto a ser mais aprofundado e entendido a partir de 2023.

E você, o que acha de todas estas tendências? Acredita que estejam corretas? Conta pra gente nos comentários! E se estiver precisando de uma agência para apresentar, analisar e colocar em prática ações que gerem resultados efetivos, mande uma mensagem pra gente 🙂

A volta do SXSW e os aprendizados que podemos extrair do maior festival de inovação do mundo

O maior festival de inovação do mundo voltou a ser presencial! O SXSW (South by Southwest) 2022 aconteceu durante nove dias no mês de março, em Austin, no Texas, e contou com a presença dos principais nomes do mercado mundial para debater temas como metaverso, NFT, games, criptomoedas, diversidade, tecnologia, redes sociais e crise climática, um dos principais temas desta edição.

O diferencial do festival é oferecer um conteúdo totalmente diverso do habitual, um convite para realmente sair da caixinha e pensar sobre o que se espera do futuro. Foram mais de 2.000 apresentações e, para organizar tudo isso, os assuntos foram divididos em cinco temas: Descobrindo o desconhecido, Construídos para o futuro, Estamos todos conectados, A mídia em evolução e O poder da inclusão.

Como o evento trata de inovação e futurologia, muito do que foi debatido são previsões e está distante da maioria de nós, na prática. Se o Facebook, uma das maiores empresas do mundo, está apenas iniciando no Metaverso, fica claro que é uma tecnologia que ainda está engatinhando e, por isso, pouco realmente se sabe sobre ela, e o que existe de real são apenas especulações. Sendo assim, enquanto os gênios do Vale do Silício sonham grande, por aqui nós podemos absorver outras nuances mais práticas que conseguimos extrair dos debates.

Embora a realidade virtual seja uma importante pauta e gere grande expectativa para o futuro, são as pessoas, na vida real, com seus sentimentos e emoções, que estão à frente de tudo. O Metaverso pode até ser um sucesso, mas são pessoas reais que estão gerenciando os personagens desta nova realidade.

O mesmo podemos dizer dos streamings e streamers que estão se tornando celebridades. O trabalho dos streamers é conversar com os fãs através de canais como Youtube e Twitch, mas o que verdadeiramente importa é quem está na frente da tela. Marcas que desejam trabalhar com influenciadores precisam entender quem são os seguidores do canal, do que eles gostam, quais suas preferências, desejos e comportamentos. 

Falando em influenciadores, como não podia deixar de ser, um dos principais temas abordados no festival foram os criadores de conteúdo, ou creators. O TikTok anunciou que investiu US$ 1 bilhão em campanhas direcionadas aos criadores. Já o YouTube tem um fundo de US$ 100 milhões reservados para creators, assim como Facebook e Instagram também têm grandes investimentos. Os influenciadores digitais estão com tudo e a expectativa é que parcerias entre marcas e creators se tornem cada vez mais criativas, originais e com altos valores de investimentos.

O que fica como principal aprendizado de mais uma edição grandiosa do SXSW é que ao mesmo tempo em que devemos estar atentos ao que a tecnologia vem moldando desde já para o futuro, precisamos também estar conscientes de que a tecnologia é meio. Nunca é sobre a tecnologia, apenas. Mas, sim, sobre como a tecnologia impacta o comportamento das pessoas. Afinal, marketing é falar sobre e para pessoas!

Se sua empresa está precisando estabelecer uma comunicação mais eficaz com seu público, a Big Data está à disposição para conversar! Temos bastante experiência e uma equipe de especialistas pronta para te atender.