BBB 20 e Marketing Digital: como o programa pode trazer insights para sua empresa

Por incrível que pareça, mesmo após 18 anos no ar o Big Brother Brasil vem batendo recordes de audiência. As edições anteriores mais recentes sempre foram muito assistidas e comentadas, mas nada que se compare ao fenômeno que está sendo a edição de 2020. E o sucesso não se refere apenas aos participantes e assuntos que acontecem dentro da casa, mas também sobre os cases de sucesso que alguns participantes conseguiram gerar utilizando o marketing digital! Você deve estar se perguntando como o BBB pôde se tornar referência para campanhas e marcas e por isso detalhamos a seguir os acertos do programa e de seus participantes.

Quem começou acertando foi a própria produção do programa, que inovou na seleção e pela primeira vez na história escolheu alguns participantes já bem conhecidos do público – principalmente na internet – em vez de personagens totalmente anônimos. Boca Rosa e Manu Gavassi são os principais exemplos. Elas já eram influentes e conhecidas antes de entrarem no programa. Aqui a gente já percebe a importância de se utilizar influenciadores digitais em uma estratégia de marketing.

Outra mudança realizada pelos produtores do Big Brother foi que eles deram um tempo para os participantes se prepararem antes de entrarem no programa. Desta forma, alguns participantes criaram conteúdos incríveis para serem publicados nas redes sociais simultaneamente à sua participação no programa. Chamamos esta ação de transmídia, onde mídias diferentes contam trechos diferentes de uma mesma história. Assim, ganha a Rede Globo, que viu seu índice de audiência crescer como nunca e ganha o participante, que passou a ganhar milhares (ou até milhões!) de seguidores. Com isso, notamos outra etapa importante do marketing digital aplicado a um case real de sucesso: o planejamento.

Manu Gavassi – que já era conhecida por adolescentes por ter participado da revista Capricho – aproveitou o tempo que teve antes de entrar no programa para criar um storytelling genial: ela gravou vários vídeos contando quem ela é, porque aceitou participar e o que espera da sua participação no programa. Os vídeos foram sendo divulgados aos poucos e depois que ela entrou na casa. Desta forma, o espectador a vê na tv e passa a conhecer, procura por ela na internet, tem acesso aos vídeos que ela própria gravou, começa a segui-la nas redes sociais e vira fã.

A sacada genial dela não para por aí. Manu também é cantora e ela também deixou preparada uma música, que foi lançada nos últimos dias, depois que ela já tinha milhões de seguidores (Manu ganhou, em apenas um dia, mais de um milhão de seguidores, depois de sua entrada no programa). A música hoje é uma das mais ouvidas pelos brasileiros em mídias como o Spotify.

Todas as etapas descritas acima fazem parte do que chamamos no marketing de funil de vendas, que é assim detalhado:

– Aprendizado e descoberta (quem é a Manu);
– Reconhecimento do problema (o que ela faz de interessante e que agrega valor);
– Consideração da solução (mais seguidores nas redes sociais e fãs);
– Decisão de compra (vender sua imagem e sua música).

Mas o programa também nos mostrou que, caso o planejamento não seja realizado de forma correta, a campanha pode ser um fracasso.

Bianca Andrade, mais conhecida como Boca Rosa, entrou no programa como a participante com maior número de seguidores, ela já era uma grande personalidade nas redes sociais. Apesar da fama, sua imagem não era muito positiva, devido a polêmicas que ela havia se envolvido. Sua estratégia ao entrar no programa então foi a de personal branding, ou seja, melhorar a forma como as pessoas a viam, mostrar seu propósito, valor e identidade.

Porém, Boca Rosa errou no planejamento. Criticou o feminismo de algumas participantes, tema que está muito em alta ultimamente, e teve outras atitudes vistas como negativas. O que resultou numa perda de mais de um milhão de participantes! Ela pretendia também alavancar as vendas da sua marca de produtos de beleza, mas você já deve estar imaginando que o objetivo não foi concluído com sucesso. Esperamos que ela tenha uma boa equipe de gestão de crise nas redes sociais! A participante, inclusive, já foi eliminada do programa.

Estes são exemplo de duas personagens do programa que mostram de forma muito clara a importância de um planejamento detalhado, de conhecer o seu público, saber como conversar com ele, fazendo com que se tornem fãs. Mostra também a importância de não só se tornar conhecido, mas saber como administrar de forma corretas as estratégias criadas.

Todas estas etapas são parte importante de um planejamento de marketing digital, do qual a agência Big Data é especialista. O sucesso ou derrota das estratégias e ações desenvolvidas em um planejamento depende de grande estudo de mercado e dos passos corretos a serem tomados. Uma equipe experiente é fator primordial para garantia de sucesso. Quer garantir o sucesso da sua empresa nas mídias sociais? Entre em contato com a Big Data agora mesmo!

5 PRINCIPAIS ETAPAS PARA UM PLANEJAMENTO DE MARKETING DIGITAL DE SUCESSO

Abrir uma empresa e montar o próprio negócio está longe de ser uma tarefa fácil. Depois de montar o plano de negócios, levantar o dinheiro necessário para o capital de giro, investir em aluguel, equipamentos e funcionários e finalmente colocar o negócio para funcionar, vem outra questão: como divulgar a empresa na internet?

De acordo com a pesquisa TIC Domicílios 2018, divulgada no último mês, 70% dos brasileiros utilizam a internet. Destes, 60% pesquisaram preços de produtos ou serviços online, antes de realizar a compra. Outro dado interessante é que quase 95% das empresas brasileiras estão presentes nas redes sociais e 62% delas consideram que essas plataformas têm um papel importante para os seus resultados, conforme mostrou a pesquisa Social Media Trends.

Com base em todos estes números fica claro que uma boa estratégia de marketing digital é fundamental não só para atrair o os públicos de interesse como também para se destacar e sair na frente da concorrência. Mas não basta apenas criar uma conta nas redes sociais e fazer postagens aleatórias e ocasionais. É preciso conhecer o mercado, os hábitos dos consumidores, redes sociais mais adequadas para o seu negócio e muito mais. Confira a seguir as 5 principais etapas de marketing digital que irão ajudar o seu negócio a prosperar cada vez mais:

1 – Objetivos de Marketing

Nada começa sem um objetivo cuidadosamente definido. Apesar de parecer simples em um primeiro momento, muita gente confunde e diz que o principal objetivo é vender. O objetivo de toda empresa é vender, claro, mas o marketing vai além disso. Pense em outros pontos-chave como reconhecimento de marca, lançamento de um novo produto, gerar fluxo qualificado na loja ou até criar uma comunidade de fãs. A venda propriamente dita acaba sendo uma consequência destas outras ações.

2 – Benchmarking

Uma vez que os objetivos estão definidos e claros por toda a equipe de marketing digital, devemos analisar a concorrência. Quais são pontos fortes e fracos, como eles se posicionam, quais as bandeiras que levantam, em quais mídias estão, como comunicam sua mensagem e todas as informações que forem relevantes para melhor análise do cenário. A questão aqui não é imitar o concorrente, mas compreender o mercado e pensar em ideias inovadoras que ainda não estejam sendo realizadas e que possa levar a sua empresa a alcançar seus objetivos.

3 – Definição do público-alvo

É hora de fazer a definição do público-alvo. Nesta etapa, o objetivo é identificar quem são os seus clientes, qual sua faixa etária, principais interesses, renda e outras particularidades. Neste momento, recomendamos a criação de personas, que são imagens representativas que irão ajudar em todas as outras etapas de criação de conteúdo.

4 – Estratégias e plano de ação

Agora que já conhecemos os objetivos, a concorrência e o público-alvo, é o momento decisivo: juntar todas as informações que foram coletadas e definir o que fazer com elas. Aqui, definimos em quais redes sociais a empresa vai estar presente, qual será a linguagem escrita e visual apresentada, periodicidade de postagens, editorias e também as metas a curto e longo prazo. Ou seja, definimos aonde queremos chegar e como chegaremos lá.

5 – Análises e relatórios

Depois de tudo implementado e sendo executado, é hora de analisar se as definições foram assertivas e estão apresentando os resultados esperados. O ideal é acompanhar bem de perto para fazer ajustes na rota caso os objetivos não estejam sendo alcançados. Existem diversos aplicativos úteis para extrair relatórios, tais como Etus, Reportei, Mlabs e outros.

É um trabalho minucioso, que envolve muito estudo e atualizações sobre o mercado. Demanda tempo para implementar, analisar e realizar as ações necessárias para se ter uma ótima presença online. A melhor maneira é contratar uma equipe especializada, com expertise e conhecimento de mercado. Precisando melhorar a presença da sua empresa nas redes sociais? Entre em

O FIM DAS CURTIDAS NO INSTAGRAM

Recentemente o mercado publicitário ficou movimentado após o Instagram divulgar uma futura novidade na forma como estamos acostumados a usar as redes sociais: o fim da exibição das curtidas nas publicações. Mas qual será o impacto desta mudança, se uma das métricas que estamos habituados a medir é justamente o número de curtidas que uma publicação recebeu?

Para entender melhor como vai funcionar: o autor da postagem terá acesso à quantidade de curtidas que a publicação recebeu, mas esse número não estará visível para os seguidores. Ainda não sabemos ao certo quando a mudança será implementada e nem o que vai acontecer, de fato, mas sem dúvida estamos diante de (mais) uma pequena revolução digital.

Segundo o Instagram, a ideia visa diminuir a corrida por likes, a guerra por popularidade que muitas vezes gera ansiedade nas pessoas, tornando a rede social um ambiente tóxico e prejudicial. O assunto não é recente, pois já faz algum tempo que as pessoas perceberam a importância de se desacelerar e se desintoxicar de redes sociais. Ansiedade, depressão e solidão são alguns sentimentos que podem surgir em decorrência do uso prejudicial das redes socais e o Instagram resolveu fazer a sua parte.

Analisar as curtidas de uma postagem é o que costuma ser chamado de “métrica de vaidade”, já que uma foto com muitas curtidas fica bonita no relatório, mas não necessariamente traz retornos reais para o objetivo de uma campanha. Analisando esta questão, a justificativa é interessante e muito válida, embora normalmente, quando novidades acontecem no mundo digital, a primeira impressão é de estranhamento e desconfiança.

Especificamente neste caso, especialistas compreenderam a proposta e os elogios à mudança foram em maior parte. A justificativa é que, tirando o foco dos likes, a atenção se voltará para conteúdos de qualidade. Imagens e textos bem produzidos, que sejam relevantes e gerem valor para o público-alvo, serão o mais importante.

Neste contexto, profissionais que trabalham com produção de conteúdo saem em vantagem com a mudança. Compreender o mercado, saber quem são os públicos-alvo, qual é a linguagem mais adequada para conversar com eles, entender suas dores e anseios e, principalmente, entender quais são os seus desejos e necessidades é fundamental para uma atuação bem sucedida. Este entendimento se reflete diretamente no tipo de conteúdo que será publicado. Quanto mais assertivo ele for, maiores serão as possibilidades de sucesso.

Mudanças sempre acontecem não só nas redes sociais, mas nas ferramentas e no marketing digital de modo geral. Estar atento às novidades, estudar quais são os possíveis impactos e se planejar para o novo é o que revela o diferencial de uma empresa. Ainda não é possível saber quais ações virão com essas mudanças, mas já fizemos nossa aposta em uma mudança positiva para empresas e clientes.

E a sua empresa, como se posiciona diante dessa questão? Se você tem dúvidas e não sabe responder, entre em contato com a gente. Juntos poderemos elaborar um planejamento de sucesso.

A importância do monitoramento de mídias sociais

Não restam dúvidas: a presença constante nas redes sociais é um fator importante para o sucesso de uma empresa. De acordo com pesquisa divulgada pelo IBGE em fevereiro deste ano, o Brasil conta atualmente com mais de 116 milhões de pessoas conectadas à internet, número que equivale a 69% da população.

Outro levantamento, realizado pelo SPC Brasil, identificou que 47% dos internautas buscam informações online antes de comprarem em lojas físicas. Avaliando as duas pesquisas, fica claro que a empresa que não está ativa nas redes sociais perde espaço.

E quando falamos em estar ativa, não queremos dizer apenas criar e publicar conteúdos. O monitoramento das mídias sociais é fator primordial para o sucesso da empresa.

Imagine o cenário: sua empresa publicou um conteúdo nas redes sociais e um internauta deixou uma mensagem negativa. Outro viu e deixou sua opinião, marcando uma terceira pessoa, que também quis se manifestar negativamente. Na internet tudo acontece de maneira rápida e se não existe um profissional para monitorar o que acontece, o caos pode se instalar.

O cenário pode ser trágico se medidas não forem tomadas de maneira eficiente, mas pode também ser positivo, se tiver uma equipe preparada. É o momento de conversar com consumidores público da sua empresa, explorar as qualidades e benefícios do seu negócio e, por que não, se desculpar pelas falhas e fraquezas, quando houver, com um registro de que soluções serão tomadas.

Outra vantagem do monitoramento é referente às futuras ações que a empresa pode tomar, após analisar dados como as interações que os internautas realizam em suas redes. Utilizando aplicativos e ferramentas próprios para esta finalidade, é possível avaliar os comentários em positivos, neutros e negativos, além de identificar as palavras-chave mais utilizadas e, assim, fazer um planejamento estratégico para novas ações.

OP Social, Mlabs, RD Station são ótimas e imprescindíveis ferramentas para monitoramento de redes sociais. São aplicativos úteis e que combinados com o conhecimento do profissional de comunicação acerca de hábitos de consumo e personalidade do consumidor, pode alavancar o sucesso da empresa!

A Big Data trabalha diariamente com estas e outras ferramentas para gerenciar as redes sociais e criar novos planos de sucesso para nossos clientes. Entre em contato conosco agora mesmo e veja como podemos auxiliar sua empresa a crescer cada vez mais!

Fake News e a Produção de Conteúdo

Nunca se falou tanto em fake news como nos últimos meses. O tema ficou em voga com a eleição do presidente americano, Donald Trump, após pesquisas locais realizadas posteriormente às eleições identificarem que a ascensão do candidato teve início com diversas notícias falsas que circularam no país. No Brasil estamos vivenciando a mesma situação, e as redes sociais exercem grande influência na velocidade com que as notícias falsas se alastram.

Estes casos claros e atuais sobre o tema fake news servem como alerta para empresas que criam conteúdos para redes sociais. Até veículos e organizações renomadas já caíram nas notícias falsas e tiveram que corrigir a informação. Sendo assim, a possibilidade de erro por parte de quem não está muito atualizado sobre as notícias de determinado tema ou quem não tem habilidades e aptidões para criar conteúdo, buscando fontes verdadeiras, é muito grande.

Contar com o trabalho de uma equipe de profissionais especializados em comunicação é de grande valia para evitar o compartilhamento de notícias falsas. O cuidado em relação às informações é uma questão de ética para as empresas na hora da criação e compartilhamento de conteúdo.

O profissional que trabalha com produção de conteúdo possui a expertise de identificar fontes confiáveis e tem meios para confirmar notícias que pareçam duvidosas. O compartilhamento de notícias falsas pode ser extremamente danoso para uma empresa, e é um risco que não se pode correr.

A Big Data possui em sua equipe profissionais com grande experiência na produção de conteúdo dos mais diversos assuntos e segmentos, aptos para nutrirem as redes sociais e blogs com conteúdos informativos, verídicos e que convertem! Entre em contato e conheça nossos serviços!

7 dicas para gerenciar as redes sociais da sua empresa

Criar as redes sociais de uma empresa é tarefa muito simples, bastam algumas etapas e voilà, sua empresa tem uma rede social para chamar de sua. Mas e agora? Para ser bem sucedido nas redes sociais é preciso planejamento. Saber com quem você está falando, que tipo de conteúdo o seu público gosta e o horário que ele mais acessa a internet são apenas alguns pontos que devem ser analisados. Veja a seguir como fazer um planejamento e gestão de mídias sociais de sucesso!

1- Benchmarking

É sempre válido analisar as redes dos concorrentes. Liste 4 ou 5 empresas que oferecem produtos e serviços semelhantes aos da sua empresa e investigue as redes sociais. Anote a quantidade de postagens, qual tipo de conteúdo recebe mais interações e outras observações que julgar importantes.

2- Escolha as redes sociais

De nada adianta sair criando conta em todas as redes sociais se a empresa não tiver condições de produzir conteúdo para todas. Por exemplo, o Youtube é uma excelente ferramenta para quem cria vídeos de qualidade, com roteiros bem definidos e qualidade de imagem. Se você não vai oferecer esse tipo de conteúdo para o público, não faz sentido divulgar que a empresa tem um canal lá.

3- Crie as personas

Já falamos aqui no blog sobre personas. Elas são fundamentais para dar uma identidade para o seu consumidor. Quando criar conteúdos, lembre-se das personas! Como você conversaria com aquela pessoa? Qual linguagem usar, do que ela gosta, tudo isso é muito importante.

4- Crie uma identidade visual para as publicações

Perfis empresariais precisam de características que os identifiquem. Crie de um a três layouts com cores e tipografia semelhantes, de modo a criar uma identidade visual para as suas publicações.

5- Planeje o conteúdo

A maioria das redes sociais permite a publicação de diversos formatos. Fotos, vídeos, texto, gifs que funcionam como jogos, enquetes… com criatividade é possível criar conteúdos engajadores. Frases inspiradoras, dicas e informações úteis para seus públicos. Mais uma vez: não se esqueça das personas, pense em qual conteúdo ela gostaria de receber.

6- Rede social é lugar de relacionamento. As vendas são consequências.

Ponto importante e que muita empresa ignora: redes sociais são ferramentas para socializar, e não vender. O objetivo é se aproximar do consumidor, criar laços, tirar dúvidas. Crie conteúdos interessantes, criativos e que faça os públicos te reconhecerem como referência. Acredite: fazendo um bom trabalho, a venda vem como consequência.

7- Monitore!

De nada adianta realizar de forma exemplar todas as etapa acima, mas deixar o monitoramento de lado. E este é um trabalho que deve ser realizado em período integral. Se alguém deixou um comentário em sua postagem ou mandou alguma dúvida por inbox, a resposta deve ser quase que imediata. Jamais deixe o consumidor aguardando. Mesmo se não puder resolver a situação ou sanar a dúvida imediatamente, deixe-o ciente de que a empresa está trabalhando em uma solução.

Este é apenas um pequeno resumo de tudo o que faz um analista de mídias sociais. A Big Data tem uma equipe pronta para planejar, executar e monitorar a presença da sua empresa nas redes sociais, entre em contato para mais informações.